terça-feira, 25 de julho de 2017

Férias em separado

A propósito de um tema no Goucha "casais que fazem férias em separado", apeteceu-me escrever.

Sou apologista das férias em separado. Não o tempo todo das férias mas, no nosso caso, uma semaninha em separado.

Na altura em que eu estava na faculdade chegou a ser 1 mês separados, na altura a nossa vida também era diferente, não estávamos juntos sempre, pelo que as férias foram uma seca.

Depois comecei a trabalhar e claro que o tempo de férias reduziu drásticamente para duas míseras semaninhas (por mim continuávamos com 3 meses de férias, como na escola) e aí fazíamos férias juntos e pronto.

O ano passado tive a oportunidade de tirar 3 semanas de férias. Claro que foi quase automático, iam ser duas semanas com ele e uma só para mim.
E foi uma maravilha. Fazia tudo o que me apetecia. Fui sempre para a praia de manhã e à tarde. É que era certo e sabido, à 9:30 levantava-me, tomava um duche, comia, saía e às 10.10h estava na praia. Por volta do 12.45h pegava nas coisas e ia almoçar a casa. Ficava na ronha até às 15h e voltava para a praia até me apetecer regressar a casa. A minha mãe nunca quis ir para a praia comigo pelo que passei os dias metida nos meus pensamentos e nos meus livros (num dos dias li um livro inteiro, mas depois tive que acalmar porque senão chegava ao fim das férias nas lonas e o sr. Da livraria ia ficar bem feliz).

E ele ficou feliz também porque tal como eu, fazia o que lhe apetecia, ainda que estivesse a trabalhar. Mas quando chegava a casa estava por conta própria.

Este ano a história repete-se. Vou ter 3 semanas de férias e uma vai ser só para mim. Não vai ser uma semana inteirinha mas vão ser uns dias dedicados só e em exclusivo a descanso e leituras. E vai ser muito bom.


segunda-feira, 24 de julho de 2017

Mariquinhas pé de salsa 😛

Sabem quando temos óleo quente ou água a ferver e atiramos coisas lá para dentro e fugimos para trás, num quase jogo de basket em que o prémio é não levarmos com salpicos e ficarmos com queimaduras de 3° grau?

Aqui a je, moi même, põe tudo muuuuito devagarinho com a colher do arroz ou concha ou qualquer coisa desse calibre.

Sim, sou uma mariquinhas pé de salsa assumida 😂😛😂

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Das sortes

Como vocês bem sabem, eu sou a pessoa mais esquecida e distraída de que há memória. E também não costumo ter muita sorte em coisas do género de raspadinhas, concursos etc, se bem que há duas semanas encontrei 20€ muito tristes e solitários e eu ajudei-os a encontrar um bom lar (mas nunca me vou esquecer da vez em que a um Sábado de manhã saí de casa para ir ao super às compras e quase a chegar à esquina da minha rua estavam 50€. Foi claramente uma recompensa por não ter sido preguiçosa e ficar na cama).

Bem, foquemo-nos, então na semana passada andava a vaguear no Facebook e apareceu um post já do dia antes acho eu, de uma perfumaria a oferecer umas amostras de um blush. Lá concorri mas fiquei naquela do "Isto já tem bastantes horas, a probabilidade de ainda haver amostras já não é nenhuma, já se sabe como é, vai tudo ao ataque, o Tuga não dispensa uma boa amostra".

Juro-vos que 10 minutos depois de concorrer já não me lembrava de nada. Comigo é assim, memória de peixinho vermelho.

Ontem à noite ao actualizar os mails apareceu-me um mail da tal perfumaria. Claro que eu também tenho como característica a precipitação. Comecei logo a resmungar para mim própria "estes gajos, sempre a mandar publicidade, raios os partam, quanto mais os bloqueio mais aparecem filhos de uma grande mãe vinda não se sabe de onde". Depois leio o titulo do mail "passatempo blush blábláblá" e as primeiras palavras do mail, ainda por abrir "obrigado por ter participado no passatempo blush....". Continuo com os meus murmúrios "Já não me lembrava de ter participado em nada. Carago mas agora também mandam mails a avisar que não se ganha nada, mais valia deixarem em águas de bacalhau, ao menos uma pessoa esquecia-se, mimimi remimimi".

Lá abro o mail (para o apagar, claro 😂) e lá vejo que desta vez até tive uma sortezita e ainda me saiu um blush.

Nada mal 😄😄😄

terça-feira, 27 de junho de 2017

De estórias surreais está o meu trabalho cheio

Tenho todo o tipo de clientes na minha loja. Desde os mais simpáticos aos filhosdumamãequeumamarteladanacabeçaerapouco.

Na Sexta passada apareceu lá um casal de velhotes que já vai lá aos anos. Vamos chamá-los de senhor e senhora X. Eu confesso que o senhor X é tão parecido ao meu avô, que eu tenho um certo ódio de estimação cada vez que ele lá vai. É que não suporto a prepotência e a mania que manda. 

Bem e então, contava eu, eles foram às compras e quem os atendeu foi o meu colega. O senhor X embirrou porque queria levar congelados e não tínhamos sacos isotérmicos. Que era uma vergonha, que devíamos era ter a loja fechada 😰, que era inadmissível, que no Pingo Doce isto não acontecia (adoro quando nos comparam a grandes cadeias de supers quando nós somos um mercado de bairro). Eu disse ao meu colega para explicar que os nossos sacos isotérmicos vêm de outro país, que há meses que encomendamos mas estão esgotados, que só vêm com mercadoria e por sua vez essa mercadoria só vem uma vez por mês. O senhor X continuou a repetir a lengalenga só que às tantas já tremia e suava por todos os lados (é impressionante, provavelmente não se revolta tanto com os políticos e a segurança social e sei lá mais o quê como por uns meros sacos isotérmicos, isto é que é querer preservar mesmo as ervilhas congeladas 😒😵) e o meu colega já estava com medo que lhe desse um AVC ou um ataque do miocárdio ou outro chilique qualquer e então foi buscar uns gelos que nós usamos para as entregas, embalou cada congelado individualmente num saquinho da fruta com uma placa de gelo, depois embalou tudo num saco grande. 

Despachado o senhor X, o meu colega foi ter comigo para tratarmos de papelada e eu lhe explicar coisas. Passado uns 20 ou 30 minutos aparece lá no escritório um outro colega meu com um saco na mão:

- Olhem, este saco aqui é do senhor X! Ele esqueceu-se do saco na caixa, já está tudo a descongelar! 😖😖😖 


Raio dos velhooooooos!
😠😠😠😠😠 

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Sabes que andas "lligeiramente" cansada quando....

Ao fazeres a cama esta semana notas que por baixo do lençol de baixo está... o lençol de baixo da semana anterior.

Ok, se calhar o facto do lençol debaixo do de baixo ser branco como o resguardo não ajuda mas pronto 😂😅


quinta-feira, 22 de junho de 2017

Hoje (ainda é só quinta)

Hoje foi daqueles dias! Saí do trabalho com uma dor de cabeça enorme. Acredito que o cansaço psicológico é mais massacrante que o físico. Porque a cabeça nunca pára.

Felizmente a minha colega volta das férias já no fim de semana, ao menos somos duas a pensar e resolver as coisas.

E eu já só penso no fim de semana com muuuuito descanso, sushi, sofá, Amor, sushi, já disse que vai haver sushi?

E que raio de tempo é este? Esteve um calor do caraças, agora já está vento, já quase durmo de casaco de pelo, decidam-se! 🌡🌞⛆☈🌦⛄🌬🌪

terça-feira, 20 de junho de 2017

A rapidez do tempo

Lembram-se daqueles longos dias de aulas em que o tttteeeemmmmpooooo paaaasssssaaaaavvvaaaaaaa leeeeentaaaaaaaameeeeenteeeeeeee? Eu lembro-me que as aulas davam para fazer milhares de coisas. Davam para jogar ao stop, para conversar com a amiga do lado, para bocejar 36392948 vezes, para olhar para o relógio 36392948 vezes e só tinham passado 0.0000001 segundos, para desenhar caras nos bonecos dos livros (os meus livros de História sofreram muito), para conversar mais um bocadinho, para ser apanhada a conversar, para ir ao quadro como "castigo" para responder às perguntas (que 99% das vezes eu não fazia patavina ideia do que era), para regressar ao lugar e conversar mais um bocadinho sobre o alívio de regressar ao lugar.

Agora que somos adultos, o tempo é gerido e entendido de outra forma. E quando a vocês não sei, mastodososmeusdiaspassamassimsobretudonotrabalho. A sério, se eu me descuido um naniquinho de tempo a fazer alguma coisa, pimbas, já passou 1 hora e eu "não fiz nada". O meu horário de trabalho é de 6 horas diárias e eu raramente faço menos de 7. Mas a maior parte das vezes faço 8, sem hora de almoço, como qualquer coisa rápida e volto ao trabalho. É que se paro de trabalhar 1 hora para almoço, quando regresso tenho 294859 coisas novas para fazer para além das que deixei a meio.

A sério, o que me irrita é que eu não posso simplesmente largar o trabalho e sair. O meu trabalho não dá para isso. Por isso para mim é impossível marcar alguma coisa a uma determinada hora. Na Quinta que foi feriado, a loja ia fechar a uma determinada hora e passado uns 20 minutos eu saia. Saí 2 HORAS mais tarde!!! As horas são pagas, não me queixo, mas chego ao Domingo derreada. E o pior é que fica SEMPRE alguma coisa para fazer.

E ainda falta tanto para as férias! 😣😣😣😎